Como fazer divulgações de livros GRATUITAMENTE



Se propaganda é a alma do negócio, e escrever livros é o seu negócio, então você vai, inevitavelmente, precisar divulgar seus livros.

Existem diversas formas de divulgar, algumas mais fáceis, outras mais difíceis, mas no final o importante é você mostrar ao mundo o que escreve.

Existem as divulgações do famoso ‘CTRL + C’ e ‘CRTL + V’, você prepara um texto básico de divulgação, ou simplesmente copia o link do seu livro ou da postagem que fala do seu livro e sai colando em tudo quanto é grupo. Essa é uma forma relativamente ampla, pois é possível que todo mundo que está naquele grupo acabe vendo sua postagem. Mas há prós e contras. Você pode acabar se tornando chato se fizer isso sempre, tipo todos os dias. Para não ser incômodo, pode usar esse recurso a cada 20 ou 30 dias. Mas se fizer em grupos demais, ou alguém não gostar de ver sua mensagem repetidas vezes, vai te acusar de spam, e o face vai bloquear suas postagens, acredite, já aconteceu comigo.

Outra opção interessante é você criar uma fan page. Convidar seus amigos (e pode também postar a fan page nos tais grupos, convidando pessoas que se interessem pelo tema do seu livro a curtirem-na), e na fan page você vai divulgando tudo o que quiser sobre seu livro: data de lançamento, resenhas, imagens ilustrativas do tema do seu livro, pontos de vendas, sorteios de brindes, memes correlatos, entrevistas, etc.

Existe ainda a rede colaborativa de autores. Eles podem pertencer todos a uma única editora ou a grupos de autores no facebook. Funciona assim, todos divulgando todos. Se 50 autores estiverem envolvidos, e cada um deles divulgar os colegas, você terá sido divulgado 50 vezes, e se cada um tiver ao menos 1000 amigos, seu livro será visto 50.000 vezes. Vale a pena né? É uma divulgação colaborativa. Só não vale ser divulgado e não divulgar o amigo. Aí é sacanagem.

Existem também os blogueiros literários (amo meus parceiros), porque além de ler seu livro, eles fazem resenhas, promovem sorteios, fazem entrevistas. Mas claro, em tudo há uma contrapartida, você não espera que eles fiquem divulgando seu trabalho enquanto você permanece na sombra e água fresca né? A sua parte nisso é enviar o livro gratuitamente (ou talvez dois, para que haja um sorteio), fornecer os brindes a serem sorteados, e manter sempre um contato honesto e sincero com seu blogueiro, aqui o que vale é a parceria. E sempre que eles fizerem qualquer tipo de divulgação, você já aproveita o link e distribui nos grupos literários, fan pages e redes de divulgação colaborativa entre autores.

A última forma de divulgar, é uma que tenho pecado um pouco, mas também muito válida. Como você quer que alguém compre um livro seu, se ninguém sabe como você escreve? Principalmente se você for um novo autor. Já vi autores (e eu mesma já fiz isso), que disponibilizam capítulos gratuitos, ou até o livro inteiro, para que as pessoas leiam, geralmente em formato e-book. Essa estratégia tem prós e contras também. O bom é que sim, muita gente que tem curiosidade sobre seu livro vai ter acesso a ele, e pode se tornar um potencial comprador. Além disso é uma forma de “provar” às editoras que seu livro tem muitos leitores em potencial, afinal todas pensam comercialmente, é o ganha pão deles. Editora não é casa de caridade, é uma empresa. O lado ruim é que você está dando de mão beijada um material que tomou seu tempo e seu dinheiro, você se dedicou, pesquisou, leu, releu, escreveu, reescreveu, perdeu horas de sono, se for um bom escritor teve 1% de inspiração e 99% de transpiração. É seu trabalho e você está dando ele assim, sem mais nem menos, para que as pessoas leiam. Há que se pensar com calma se vale a pena mesmo. Durante um período eu achei que valia a pena, mas há casos e casos. Então, como resolver esse impasse? Como mostrar o que você escreve, sem dar seu livro gratuitamente para milhares de pessoas? A melhor saída é você escrever coisas menores. Pode encontrar um blog onde escrever artigos, fazer fanfics (que estão super na moda), criar contos dentro do seu estilo literário, escrever poesias, participar de antologias. Há uma infinidade de possibilidades na verdade, só botar a cachola pra funcionar que você encontrará uma forma de criar textos pequenos, e com isso conseguir cativar os leitores até que eles queiram ler não só os pequenos, mas também os grandes textos que você tem.

Existem diversas outras formas de divulgar, mas vou deixar para outro momento, porque a postagem ficou bem maior do que eu imaginava... rsrsrs Então por enquanto é só.

Um super beijo a tod@s.

Não se meta nisso

Conversando com uma amiga, disse que estava planejando elaborar postagens para dar dicas aos novos autores. Eu queria algo especial como primeira postagem desse tipo. Então perguntei a ela: "o que você acha que seria interessante eu escrever para alguém que sonha em ser escritor?" De pronto ela me respondeu: NÃO SE META NISSO!



Em um primeiro momento achei um absurdo esse tema. Como assim? Não se meta nisso? Que diabos de tema seria esse? Não respondi nada e comecei a meditar. E cheguei a conclusão que de fato é um tema fantástico.

Não se meta nisso!

É isso mesmo.
Não escreva.
Não elabore mundos.
Não pesquise outros autores.
Não busque melhorias textuais.
Não promova sua própria criatividade.
Não saia de sua zona de conforto.
Não procure a opinião alheia.
Não bote suas ideias no papel.
Não transforme seus sonhos em realidade.
Não se apaixone por um personagem.
Não leia.

E sabe qual será o resultado?

Viveremos em um mundo com uma ideia a menos. Um mundo com uma (a sua) criatividade a menos. Um mundo com sonhos a menos. Teremos menos leitores, independente de quantos seriam, lendo exatamente o que você imaginou. Menos diversidade literária, menos publicações. Teremos menos fantasias, justamente as idealizadas por você! Seremos menos leitores em um país que urge por leitura. Seremos menos escritores num mundo que sonha utopias. Teremos menos distopias e menos válvulas de escape para outros mundos. Teremos menos processos de avaliação, menos leitores-beta, menos novos autores sendo lançados (você poderia ser um deles). Menos vocabulário e menos enredos. Menos correções. Menos lágrimas e decepções após o não de uma editora, e menos sorrisos e pulos de alegria após o sim de outra editora. Menos contratos literários assinados. Menos comemorações e menos lançamentos. Teremos menos noites de autógrafos, e menos cheirinho de livro novo. Menos títulos numa estante. Menos capas ilustradas. Menos pessoas se apaixonando pelos seus personagens. Menos páginas de livros...

Não se meta nisso, e teremos uma história a menos a ser contada ao mundo! A sua...

Pense em "não se meter nisso", antes de desistir...
 
© Blog Lara Orlow. Todos os direitos reservados.
Layout feito por Flavinha Fernandes